Variações – O filme

Hoje fui finalmente ver a grande homenagem em formato de filme biográfico de António Variações.

O inicio de filme mostra algumas cenas da infância de António Variações (António Joaquim Rodrigues Ribeiro), primeiro nas festas religiosas da sua aldeia, de seguida a trabalhar na fábrica e a aprender a tocar cavaquinho. Os seus pais eram agricultores e tinham uma vida simples. Porém António queria mais, um dia ao jantar, confessou quase em lágrimas que não queria ir mais trabalhar para a fábrica. António queria ir para Lisboa.

E nisto, passamos para a vida adulta de António Variações já emigrado na Holanda com a profissão de barbeiro (como costumava gostar de ser chamado). Veio para Portugal para o funeral do pai e por cá ficou porque alguém da rádio lhe estendeu a mão para entrar para o mundo da música. Alguém finalmente tinha visto potencial nele, na sua voz, nas suas composições e no seu estilo excêntrico. António Variações era a lufada de ar fresco que a música portuguesa necessitava.

Conseguimos observar o seu processo de criação musical durante todo o filme, é-nos dado a conhecer músicas menos famosas e observamos principalmente a luta que travou para conseguir assinar um contrato e principalmente conseguir com que as suas músicas fossem gravadas.

O filme está brilhante, conseguindo captar na minha opinião, o sentimento de incompreensão que António Variações sentia e que se pode verificar em algumas das suas músicas. Para mim, teve uma carga emocional bastante grande, o que me surpreendeu. Saí da sala do cinema com bastante tristeza, pois apesar de aparentemente António Variações ter aproveitado a sua vida ao máximo… havia ainda tanta coisa para fazer… ele iria fazer a abertura do concerto de Amália Rodrigues e não conseguiu realizar esse grande sonho e honra que seria estar no mesmo palco com a sua maior inspiração. Na última cena do filme, já internado no hospital – possivelmente nos seus últimos dias de vida -, ouves se  a ecoar pelo hospital a sua voz, o entoar de uma das suas músicas.

António Joaquim Rodrigues Ribeiro, morreu  com 39 anos, no dia de Santo António, com broncopneumonia e especula-se que terá sido causada pelo vírus da SIDA, se ainda hoje estivesse vivo teria 75 anos.

Apesar de o filme ter consegui captar momentos chave da vida de António Variações, sinto que há ainda tanta coisa que poderia ser mostrada, sinto que o que nos foi dado foi apenas uma gota de água de um oceano vasto. Dou os parabéns ao actor que interpretou António Variações.

Agora façam um favor a vocês mesmos e vejam o filme.

Não sei se nasci para ser feliz.” – António Variações

Aqui está o trailer do filme

 

Deixo-vos um micro-pedaço de uma entrevista

 

E finalmente uma música sua

Deixar uma resposta