Locke

**Spoilers**

Gostam de acção? Então este filme não é para vocês, acreditem em mim!

Ivan Locke é a personagem que Tom Hardy interpreta, um homem de família com uma carreira brilhante na construção. TODO o filme decorre no carro, com Ivan a conduzir até ao hospital, pois o seu filho está prestes a nascer.

Durante a viagem, Ivan cria e resolve problemas da sua vida.

  1. Problema: como explicar aos seus chefes e à empresa que não poderá estar amanhã no trabalho. E este “amanhã” do trabalho é só assim, digamos, o mais importante! Pois é quando vão construir em betão as bases do edifício e tudo tem de correr bem para que não haja problemas com o edifício no futuro.
  2. Problema: como explicar à sua mulher a sua ausência esta noite, dado que era uma noite de jogo e iam todos ver. A esposa, ele e os dois filhos.

Estes dois problemas têm uma resposta comum. Ivan vai a caminho de um hospital ver o seu filho nascer. Sim, isso mesmo. O filho de um caso extraconjugal, quando ele esteve fora a trabalho numa outra construção. [A culpa é toda tua Ivan]

No 1 Problema, o pessoal do trabalho fica chocado com o facto de Ivan ter traído a esposa e mais chocado fica pelo facto de essa traição… ter trazido uma criança ao mundo. E é agora que vocês perguntam “então e abortar?” e é agora que eu e o filme respondemos “not your body not your choice”. Fixe?! 😉 Voltando à parte do “chocado”, mais chocada fiquei eu (e também o pobre do Ivan) quando o pessoal do trabalho descartou a importância de uma criança a nascer… “mas se foi de um caso fora do casamento porque te dás ao trabalho de lá ir, ela é que quis a criança, não vás porque nós precisamos de ti” – idiotas de m*rda!

Apesar desta desconsideração toda, Ivan através de inúmeras chamadas ajuda a empresa e os colegas para que o dia seguinte corresse bem.

Entre estas inúmeras chamadas, Ivan fala com a mãe do seu mais recente filho para a acalmar, porque a coitada está sozinha no hospital prestes a dar à luz!

No 2 Problema: a chamada mais difícil que faz é à sua esposa. Como é que explicas à tua esposa que vais a um hospital de uma outra cidade ver o teu filho nascer… que é fruto de uma relação extraconjugal?! É. Difícil. E a esposa acaba por também ter sentimentos contraditórios, que só vai perceber quem ver o filme … também não vou contar aqui tudo não é!?!?

Nesta troca de telefonemas e explicações entra também uma montanha russa de sentimentos para Ivan. Em algumas ocasiões do filme, este fala para o banco detrás (atenção que ele vai sozinho no automóvel), como se estivesse a falar com o seu pai. Fala com bastante mágoa e raiva. Ivan também fora fruto de um caso fora do casamento, só que o seu pai não teve coragem para assumir o que fez e cuidar de Ivan.

No final do filme Ivan acaba por perdoar o pai por não o ter assumido como filho, porque percebeu que fazer o que é correcto não só é difícil como podemos colocar em risco ou mesmo perder o que já temos.

A vida é feita de escolhas, umas fáceis e outras difíceis. Ivan poderia ter virado as costas ao “problema”, mas não o fez. Uma lição para a vida, vejam o filme.

Deixar uma resposta