Abducted in Plain Sight: O Caso de Jan Broberg

**Spoilers**

Abducted in Plain Sight é o documentário sobre o rapto de Jan Broberg enquanto criança (pré-adolescente) por Robert Berchtold. E mostra todos os pequenos pormenores que fizeram com que este caso durasse anos. Sim, leram bem: ANOS.

O principal objectivo de Robert Berchtold assim que colocou os olhos na pequena Jan foi tê-la para si. Tornou-se na sua obsessão.

‘B’ (como Robert Berchtold era conhecido pelos Broberg) e a sua família (esposa e filhos) aproximou-se de Jan, tornando-se amigo da família. Alguém de confiança. Alguém que estava sempre próximo. Demasiado próximo.

A atenção de ‘B’ em pouco tempo, começou por ser quase e exclusivamente dedicada a Jan e apesar de os Broberg estranharem um pouco isso, acharam irrelevante. E assim Robert Berchtold coloca em prática o plano que engendrou para separar os pais de Jan da filha. Primeiramente envolve-se romanticamente com o pai de Jan e logo de seguida com a mãe dela. Ganha assim ainda mais a confiança dos pais da pequena.

A primeira vez (sim, primeira vez) que ‘B’ rapta Jan, esta tinha 13 anos de idade e vai buscá-la às aulas de piano; Robert Berchtold havia dito à mãe de Jan que iria levá-la a passear e obtém autorização para tal.

O que seria uma tarde de divertimento para Jan, torna-se um pesadelo para a família dela. Os pais de Jan apenas recorrem às autoridades, dias após o desaparecimento da filha. Pois é. Quem é que apenas se dirige às autoridades diaaaas após o desaparecimento da filha, apenas porque o seu raptor é amigo e amante da família?!

Vamos ter aqui em contexto que isto passou-se nos anos 70 e o facto de ambos terem tido relações românticas e até sexuais com o raptor da sua filha é embaraçoso. Mais embaraçoso nessa altura seria que se descobrisse que o pai de Jan teve relações homossexuais… ora ai está, como referi, com o raptor da filha. Sim, meus amores, o orgulho e a imagem da família seria manchada caso viesse a público a relação homossexual entre o senhor Broberg e Robert Berchtold; e aparentemente foi mais importante do que Jan. Robert Berchtold sabia disso e usou o orgulho e a repercussão social que isso teria contra os próprios Broderg.

Entretanto, ‘B’ conseguiu ludibriar uma criança de 13 anos que seria fundamental ter relações sexuais e mais tarde um filho com ele. Robert Berchtold fez com que Jan acreditasse em extraterrestres e que estes iriam magoar a sua família caso Jan não fizesse o que eles ditassem e que o futuro da humanidade estava nos seus ombros.

Berchtold foi para o México e casou com a pequena Jan e apenas voltaria para os EUA se os pais da pequena autorizassem o casamento dos dois. Felizmente o FBI conseguiu encontrá-los e após a comunicação com o México e explicada a situação o casamento é anulado (até porque não tem validade nos EUA).

Jan volta a casa diferente. Porque agora, se não cumprisse a missão que os extraterrestres lhe deram o que iria acontecer à sua família?

E é a partir daqui a vontade de gritar nomes ao pc cresceu. Não só pelo abusador, mas também pelo comportamento dos pais da vítima.

Deixar uma resposta