Como o Oceano

Não.

Eu perdi o mapa, o GPS.

Nasci sem bússola e

nunca me ensinaram a ler as estrelas.

Não sei seguir direcções e perco-me tão facilmente,

que ainda me procuro no meu próprio caos.

Eu perdi o controlo.

 

Nasci sem instruções

e sem comando.

Nem tu, nem a vida

vão conseguir aprender que,

eu sou como o vento.

Sopro quando quero,

na direcção que quero,

onde quero e

com a intensidade dos meus sentimentos.

Nunca vão perceber.

Que eu sou como o oceano.

Sou imensidão,

não tenho principio nem fim.

Posso ser tão límpida e calma,

como escura e tempestuosa.

 

Eu sou o dia solarengo de Primavera

antes de ser a tempestade destruidora de Inverno.

 

Fonte da imagem: aqui.

Deixar uma resposta